12/07/2015

Games, Quadrinhos e Colecionismo




Recentemente, resolvi dar uma boa diminuída na quantidade/velocidade aquisição de quadrinhos, ou seja, não parei, mas continuo de modo mais racional, organizando, selecionando, excluindo e pensando sobre o impacto da leitura no meu ser.

Isso ocorreu pois o espaço de armazenagem aqui em casa está nitidamente diminuindo e a maioria dos quadrinhos que comprei não consegui ler mesmo após mais de um ano.

Além disso, minha paixão há muito dormente por games renasceu e vou incrementar essa coleção aos poucos. Afinal, como pequeno colecionador, desejo chegar a uma idade avançada com um acervo variado de raridades, hehe.

O PSP Go acima consegui praticamente novo após pesquisa no OLX aqui do meu bairro (ótimo site para garimpagem) e saiu após diálogo com o vendedor por 200 dilmas, preço pra lá de razoável.

Mais um dado: A finitude da existência humana me faz desejar viver a maior gama possível do boas experiências no tempo de que disponho nessa vida (já estou com 32 anos) e chega uma hora que é bom partir para algo novo. Sem esquecer que nada é melhor do que o tempo que passamos com nossa família e amigos.

Pra você perceber como o tempo passa, meus amigos estão todos casando ou casados e não demora muito estarão com filhos (meus irmãos que o digam!). 

A vida é grande e quero mais dessa grandeza, da qual o colecionismo é apenas um pequeno passatempo.


Grande abraço!

P.s.: Esse texto foi escrito enquanto ouvia Strauss.


2 comentários:

  1. Gosto de Strauss. Ontem à tarde, fiquei ouvindo Johann Pachelbel. Como não gostar de música erudita? Sobre os temas tratados aqui, não posso falar de games, pois não curto. Nada contra. Acho interessante e inteligente. É um bom passatempo. Mas nunca me envolvi muito com eles. E falta tempo. Meu dia é preenchido com muita coisa. E ainda há a leitura e um filme ou seriado. Cuido de minha mãe idosa e gosto de andar etc.. Sobre os ventos da mudança, é assim mesmo. E chega tudo de supetão. Eu que já fui casado sem ser pai, hoje serei pai sem ser casado. A vida segue, ora. E essa parte de compras, na vida, precisa mesmo de uma meditação. Vejo muita gente comprando tanto gibi e livro que me pergunto se, realmente, lê aquilo tudo. Se eu fosse rico, compraria bibliotecas, para consulta e acesso a pessoas próximas. Como não sou, só compro o que lerei efetivamente. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Scan Torrent18/07/2015 22:27

    Impossível não gostar de música erudita.

    Parabéns pela paternidade! Um dia te alcanço. O bom é que logo vai ter um pimpolho(a) para dividir o prazer de colecionar entre outras coisas da vida :)

    Também cuido de minha mãe idosa (é bom aproveitar o que ainda temos de melhor): ela é o melhor "item" da minha coleção, hehe. Um arquivo vivo de uma história jamais escrita.

    Muitas vezes o prazer de comprar é maior que o prazer de leitura e para se ler tudo que se compra, só comprando pouco ou não vivendo muito, pois a vida é preenchida com muitas coisas mesmo.

    Sobre games, jogo pouco, mas colecionar, perseguir um item, é prazeroso. Além disso, jogos estimulam o cérebro de uma maneira única, enfim, uma experiência a mais.

    Se eu fosse rico, compraria bibliotecas ( de livros, games e quadrinhos), para consulta e acesso a pessoas próximas.



    Abç

    ResponderExcluir

Seu comentário é o nosso pagamento.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...