25/09/2015

[Paquera] Quando as Armas não são Boas


Ontem presenciei uma cena e resolvi comentar. No trem, um cara cumprimenta uma comadre e passa a entabular uma prosa.

Depois de uns 30 minutos, ele tenta fazer um carinho no cabelo dela e ela recua, dizendo que não queria aquele tipo de intimidade. Diante disso, ele acaba desistindo de buscar maiores favores.

Nesse momento, pensei: esse cara nunca sairá da Friendzone com essa mulher com esse tipo de estratégia.

Nisso, comecei a notar a estampa do cara: 

  • estatura mediana, 
  • na faixa dos 40, com barriguinha de chopp, 
  • arcada dentária superior cariada e desalinhada;
  • vestido de modo largado.

A mulher não era bonita, estilo dona de casa mal cuidada, mas não merecia um ser horrível daquele.

Sei que cada um deve lutar com as armas que tem, mas temos que cuidar das nossas armas também. Ou seja: precisamos vigiar, entre outros:


  • nosso peso;
  • saúde bucal (sempre lembrando que cáries geram mal hálito);
  • vestimentas;


Depois as pessoas começam a achar que não dão sorte no amor ou na vida e que tudo dá errado, atribuindo a fatores externos a causa de problemas gerados pelo próprio sofredor.

Enfim, uma realidade desleixada pode explicar muitas vezes o insucesso.

Grande abraço!

4 comentários:

  1. Invasão inaceitável o cara tentar fazer um carinho na mulher... Não é assim que se joga esse jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gordo,

      Com certeza! Falta Grave =)

      Abç

      Excluir
  2. Pelo menos ele tentou. Se talvez esse mesmo cara tivesse com um bom carro e cheio da grana, a história podia ser outra. Mas a lição final é o cara "se cuidar" mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ozy,

      A ideia foi essa mesma, pois dinheiro ajuda muito, é claro, mas não basta se faltar asseio na apresentação pessoal.

      Abç

      Excluir

Seu comentário é o nosso pagamento.