10/06/2016

[Livro] O Caso dos Exploradores de Cavernas (2008)/ Lon L Fuller




Na faculdade, esse livro foi leitura obrigatória em uma das matérias introdutórias. Como era curtinho (66 páginas) e no começo do curso o aluno é empolgado acabei lendo. Até hoje fico pensando que poderiam ter escolhido algum livro melhor e com mais conteúdo.


Conforme explica Tatyana Mello:

O livro caracteriza-se por ser uma ficção que se desenrola no ano de 4299, no condado de Stowfield, apresentando como personagens cinco membros amadores da sociedade espeleológica que ficaram presos durante 32 dias dentro de uma caverna após um desmoronamento que bloqueou completamente o único acesso de saída. Durante este período, o autor criou um enredo envolvente abordando, através das vítimas, uma situação extrema de luta pela sobrevivência, ressaltando sentimentos de medo, insegurança, resolutividade e instinto de preservação.

A estória até tem algum carisma, mas temos casos reais mais interessantes para discutir: penso que a realidade e sua compreensão deve ser o objetivo de toda teoria e, se temos um caso real, não devemos perder tempo valorizando situações hipotéticas. 

O caso real.

O caso real, que acho mais interessante, é aquele em que um avião em 1972 caiu nos Andes. Deu até um filme bem legal e recomendável mostrando a dificuldade dos sobreviventes.

Sei que o objetivo da leitura desse livro é desenvolver o raciocínio do aluno, mas, sinceramente, há pouco raciocínio a desenvolver no começo do curso, dado que se tem pouco ou nenhum conhecimento teórico. 

Saudações!

7 comentários:

  1. Ainda o tenho. Não foi leitura obrigatória. Mas como vi uns dois autores recomendando, comprei. Foi baratinho. Até pq é uma brochura bem vagabunda. Mas concordo contigo nisso: obra fraquinha. Nada de mais...

    ResponderExcluir
  2. Ulisses 8Bit15/06/2016 20:26

    Scant você disse:
    "não devemos perder tempo valorizando situações hipotéticas. "

    Mas que absurdo Scant kkkkkkkkkkk, boa parte do estudo de qualquer Ciência é o estudo do teórico e hipotético, claro, não estou desmerecendo a coisa real mas... não podemos simplesmente deixar de lado os clássicos ou livros que são adotados em massa por quase toda Universidade Ocidental.
    E tem mais, como você mesmo disse, o livro é fininho, e além de fininho é baratíssimo, um estudante de Direito que nunca leu este título, provavelmente não vai ler muita coisa mais importante que aparentemente não tem aplicação imediata.

    O Caso Dos Exploradores de Cavernas é leitura obrigatória para estudantes de Direito e ponto final, a menos que o acadêmico queira passar vergonha em alguma discussão ou defesa de tese no futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ulisses,

      A teoria existe para a prática a não o contrário.
      Leituras obrigatórias são dogmas que vivem caindo em desuso.
      Ninguém discute esse livro fora de círculos acadêmicos e círculos acadêmicos são para poucos (doutorandos, mestrandos e semelhantes).
      No dia-a-dia essa leitura é desprezível e não cai nem em prova pra juiz/promotor.

      Abç!

      Excluir
    2. Ulisses 8Bit16/06/2016 16:20

      A teoria pode ser aplicada, sem dúvidas, exemplo disso é a tecnologia, mas não depende de uma utilidade imediata. Se você acha que tudo precisa de uma utilidade boa parte da Filosofia, Matemática e Artes estaria na lata do lixo segundo sua visão. Inclusive muitas ideias que a princípio não tinham utilidade alguma, décadas ou séculos depois foram aplicadas de alguma forma. Esse repúdio pela teoria é típica do brasileiro que muitas vezes entra na Universidade para ter um emprego e um diploma, mas nem cogita buscar o conhecimento pelo conhecimento em si.

      O título pode ser desprezível para provas e concursos, mas certamente é discutido em aulas iniciais de Direito. E provavelmente será por muito tempo. Dada a sua aceitação em várias Universidades do mundo.

      Excluir
    3. Me rendo a força de seus argumentos, mas que o livro é fraquinho, isso é.

      Abç!

      Excluir
    4. Me rendo a força de seus argumentos, mas que o livro é fraquinho, isso é.

      Abç!

      Excluir

Seu comentário é o nosso pagamento.