31/08/2016

[Reflexão] O Estudar como Exercício Mental




Ler é um prazer para poucos e estudar é um prazer ainda mais restrito. 

Estudar é um ato solitário e pouco valorizado pela mídia, pois estudar é um processo sem fim, que pode ou não trazer resultados patrimoniais, mas sempre trará resultados mentais, tais como a melhora do pensar/raciocinar.



Também gosto da comparação entre a leitura e a alimentação: livros seriam para o cérebro o que a comida é para os músculos. O deixar de estudar é um pouco parecido com deixar de praticar atividade física. Não que o cérebro seja um músculo, mas ele também "enferruja". 

Vejo isso claramente quando sugiro aos meus irmãos voltarem a estudar para obter uma melhor colocação profissional.  Eles alegam que "não tem mais cabeça para isso". Tenho 33 anos e eles são, respectivamente, 6 e 12 anos mais velhos que eu e já se acham velhos para estudar. Acho uma pena, pois eles ainda podem conquistar muito mais nessa vida e não falo só de dinheiro.

Com quase 90 anos Reale palestrava

 por todo o Brasil sobre o atual Código Civil.



Pensando bem, depois que a época de vestibulares, faculdade, pós-graduação e concursos passa, pouca coisa ainda nos motiva a estudar com afinco. 

Atualmente somente a ideia de ganhar mais dinheiro não me motiva a estudar. É preciso mais alguns fatores como conquistar um trabalho mais empolgante ou uma função socialmente relevante.

Para a maioria, porém, a motivação acabou há muito tempo. O que é uma pena, pois uma das maneiras de postergar ou evitar certas doenças relacionadas ao envelhecimento é manter o cérebro ativo. E para isso o ler e o estudar são essenciais.

Forte abraço.

Melhor estudar que colar.

7 comentários:

  1. Ótimo texto. O cérebro só funciona direito se tiver um motivo que gere um interesse. Por isso mesmo um livro ou um tema "chato" para se estudar, tem que ter alguma motivação, mesmo que seja por interesse financeiro ou algo assim. Estudar sem um motivo ou interesse fica bem mais difícil a memorização ou compreensão do texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edit:
      Scant, o blog "Controle 8Bit" não existe mais. Eu deletei ele, se quiser apagar e fazer uma "limpa" nos seus links, pode fazer.
      :)

      Excluir
    2. O que fazemos por gostar, fazemos melhor.

      Já atualizando o linlk para http://ulisses8bits.blogspot.com.br/.

      abç!

      Excluir
    3. Rapaz, valeu mesmo.
      Abração!

      Excluir
  2. Cara, gosto dessas séries de postagem que vc faz sobre estudo e organização. Pois é. Estudar faz bem e não precisa acarretar em ganho financeiro. Estudo um pouco de História, por exemplo. Porque quero. Tb ainda me atualizo um pouco em Direito, mas nem tanto por precisar, já que meu trabalho pede pouco conhecimento jurídico. Na verdade, em meu dia a dia profissional, recebo um monte de abacaxi para descascar, desde avaliações complexas de maquinários diversos e de imóveis até relatórios de vistoria sobre diversos assuntos que surgem em nosso cotidiano. Mas nenhum desses atos pede conhecimento jurídico. Me atualizo porque quero, mesmo. E quem sabe no futuro talvez eu não advogue, já que sempre foi mesmo o que quis fazer, embora não tope encarar o mercado sem grana certa todos os meses. Mas não penso mais em ganho financeiro...
    Lembra de MIguel Reale? Velhinho e com a sanidade de um garoto de 18 anos de idade? Estudo e disciplina, especialmente em Filosofia.
    Sobre seus irmãos, destaco que tive um colega que, com 54 anos de idade, foi nomeado Juiz de Direito. Ele não quis, pois teria que ir para longe. Na época, ele já era procurador federal (ganhava uma mixaria, depois houve aquela primeira melhora). Foi nomeado procurador com quase 50 anos. É que ele só cursou Direito quando já estava com... 45 anos. É engenheiro, tinha uma pequena empresa que só dava dor de cabeça e prejuízo e, brilhante, mudou de carreira já "velhote".
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, ótimo comentário. Vou acrescentar o exemplo de Miguel Reale ao post.
      Sobre advogar na aposentadoria, acho uma ótima ideia, pois o ser humano precisa de desafios.
      ótimo exemplo de perseverança depois dos 40. Mais um argumento para se continuar batalhando sempre nessa vida.

      Abç!

      Excluir
    2. Gostei da foto do velhinho integralista aí. :-)
      Filosofia do Direito de Reale é um dos melhores livros de Filosofia que já li. Qualquer dia o comento em resenha escrita ou em vídeo para passar vergonha. Pois passando bastante vexame, a gente pode encarar TUDO.

      Excluir

Seu comentário é o nosso pagamento.